FAM Trip Sita: uma jornada pelo Nepal e Índia, Setembro 2019

September 29, 2019

Quando comecei a organização desse FAM convidei agentes de diversos operadores de viagens, dando preferência àqueles operadores que já trabalham com a Sita! Essa viagem era um verdadeiro presente, exceto os voos, tudo oferecido pela Sita e parceiros de modo gratuito, além de experiências e noites nos melhores hotéis nos dois países, fechando ainda com 3 noites com o belíssimo Vakkaru Maldives (em breve mais detalhes). 

 

Convidei alguns agentes, mas a lista final era composta somente de mulheres. Um fato que fez a viagem ainda mais especial pois, com a Sita, tivemos o cuidado de adaptar o programa e surpreender as nossas convidadas com experiências de imersão, voltadas para viajantes femininas. 

 

 

Fila de baixo da esquerda para direita: Deenam, Sita; Camila, Just Tur; Larissa, Kangaroo Rio; Gabi Maia, Mandala; Gabriela, Venturas. 

Fila de cima da esquerda para direita: Caroline, DUO Network; Júlia, Casablanca; Dinah, Kangaroo & Mary, Queensberry. No hotel Club Himalaya, Nagarkot, Nepal, Setembro de 2019.

 

 

Nepal: cidades imperiais e tradições 

 

É a segunda vez que fui ao Nepal mas, nem por isso, a viagem deixou de ser especial para mim (ainda mais com a companhia dessas agentes de viagens super especiais). Pouca coisa mudou desde o ano passado para cá, algumas restaurações pós-terremoto 2015 avançaram! É bonito ver um país voltar a florescer especialmente depois de tamanha tragédia. Bhaktapur, por exemplo, terceira maior cidade do Vale de Katmandu, e uma das mais antigas do país, tem a previsão de término das obras para o próximo ano. Os trabalhos de voluntários europeus continuam a todo o vapor, contribuindo para reabertura de atrativos, outrora fechados.

 

 No Nepal nos hospedamos por 2 noites em Katmandu e 1 noite em Nagarkot, no Club Himalaya, hotel com vista às montanhas. 

 

Em Katmandu, almoçamos no charmoso e histórico hotel 4* boutique Tibet Internacional, com vista para a principal estupa do país: Boudhanath. Lá, tivemos o prazer de conversar com a proprietária do hotel, uma mulher empreendedora que, com a sua mãe, fundou o hotel e nos contou várias histórias do Tibet, sua terra Natal.

Convidadas do FAM entre Carol da DUO Network, representante da Sita no Brasil, Deenam, do escritório da Sita no Nepal, e a proprietária e colaboradores do hotel Tibet International 

 

 Ficamos surpreendidas ao saber que mulheres em vilarejos isolados nas montanhas do Tibet praticam a poligamia abertamente, se casando com irmãos da mesma família, uma tradição milenar implantada para preservar o patrimônio, diminuindo partilhas e rusgas entre irmãos. Uma curiosidade: todos os filhos de uma mesma mulher chamam de pai o homem mais velho, e os demais maridos, de tio. 

 

Você sabia? 

Que uma mandala é uma estupa vista de cima? E uma estupa, por sua vez, é a morada de um ser iluminado? Quando seres iluminados morrem (monges que abdicaram da riqueza e esbanjam sabedoria), esses não são cremados. São enterrados em posição de flor de lótus e sobre seu corpo se ergue uma estupa. Os 4 olhos pintados no topo das maiores estupas protegem os 4 cantos do local onde ela se encontra. 

 

Outra experiência reveladora foi conversar com uma ex-Kumari. As Kumari são meninas que dos 3 anos até a puberdade vivem em templos. São escolhidas por uma série de atributos físicos e psicológicos, além disso, enfrentam uma série de provas antes da nomeação. Todas são oriundas do povo newar. Cada cidade tem a sua Kumari protetora que "reencarna" uma deusa. Se vestem de vermelho e dourado, usam uma maquiagem proeminente e recebem fiéis todos os dias para bençãos.

Participantes se reúnem com a ex-Kumari, Preeti Shakya, hoje com 22 anos 

 

a podem sair do templo, exceto na época dos festivais. Mesmo assim, ao sair não tocam o chão, considerado impuro. Quando chegam a puberdade, voltam para o seio familiar, e a deusa que nela habitava migra para o corpo de outra menina, que rapidamente ocupa seu lugar em um ciclo sem fim. Fizemos diversas perguntas a Preeti Shakya, ex-Kumari de Katmandu, hoje com 22 anos de idade e conhecemos algumas de suas aspirações. Descobrimos que seu sonho é ser empreendedora! Hoje ela estuda Economia e embora não seja mais a deusa vivente, o respeito que sua presença causa é evidente. A Deenam, responsável pelo escritório da Sita no Nepal, não conseguiu disfarçar a sua admiração em estar tão perto da ex-deusa viva! 

 

Preeti Shakya quando Kumari e hoje em dia 

 

Outra surpresa que deixou as convidadas comovidas foi a recepção calorosa feita pelos colaboradores da Sita no escritório da empresa! A Sita possui o maior escritório entre os DMCs do país. Fomos recepcionadas por músicas típicas, docinhos e drinks.

 

Recepção ao FAM Trip no escritório da Sita no Nepal

 

Você sabia?

Que no Nepal a maioria das pessoas não se classifica nem como hinduísta nem como budista? No país a religião que prevalece é uma mistura dos dogmas, ensinamentos e tradições de ambas. 

 

Também sobrevoamos o Everest! Na época das monções (Abril-Outubro), chegar tão perto da montanha mais alta do mundo é um sonho bastante difícil de se concretizar. Porém, tivemos sorte e vimos o Everest e a cordilheira do Himalaia, um espetáculo emocionante de rara beleza.