top of page

LADAKH: uma joia escondida nos Himalaias indiano


O calor de Deli no verão é úmido e pode ser sufocante para quem não está acostumado a altas temperaturas.


Os britânicos, quando dominaram a Índia, acostumados a temperaturas mais amenas e raramente quentes e por não suportarem o verão de Deli, entre maio e setembro, decidiram mudar a capital do país, não só literalmente, mas fisicamente para Ladakh (extremo norte do país), durante esses meses quentes. Ali, construíram longos trilhos de trem que cortam montanhas e auxiliavam no sobe e desce.

Ladakh já fez parte da Caxemira: uma região belíssima, montanhosa com rica flora e fauna que, contudo, não é recomendada a visitação devido a zona de tensão constante entre Índia e Paquistão. O aeroporto pode fechar inesperadamente e não raro se vê soldados fortemente armados fazendo patrulhas o que contrasta com a paisagem idílica da região.

Porém, Ladakh ganha um charme a mais, mantendo uma geografia similar: considerada a pequena Tibete, os templos típicos do budismo tibetano pipocam em seu horizonte tornando tudo ainda mais único e especial. O Tibete é um dos países mais reclusos do mundo, dominado pela China desde 1950, obrigando seu líder político e espiritual, Dalai Lama, a refugiar-se em Dharamsala, no noroeste da Índia. O Tibete permanece fechado para turismo internacional, devido as restrições da pandemia.

Logo Ladakh se converte em um lugar perfeito para ser visitado durante o verão indiano, afinal a temperatura fica mais agradável para essas atividades culturais, nessa época do ano.


Já durante o inverno, a alta temporada para o restante da Índia, entre novembro e março, Ladakh não perde o seu charme, muito pelo contrário, ganha um detalhe selvagem: somente nesse período é possível avistar os raros leopardo-das-neves. Majestosos felinos com patas largas e rabo proeminente, características estas que se tornaram dominante durante o processo de evolução, pois nesse ambiente tão inóspito, permitem que esses felinos corram velozmente em montanhas nevadas, escorregadias e cheias de pedregulhos. Nos meses de inverno intenso, esses animais fogem das altas altitudes e vão de encontro às zonas mais baixas em busca de alimento. Por isso, viajar para Ladakh de novembro a março é perfeito para fazer um safári (de trekking) para visitar esses felinos que somente são encontrados nos Himalaias.


Ladakh é um lugar seguro e isolado, sendo totalmente fora da rota massificada. Um voo diário, direto e curto conecta Deli a Ladakh. Aqui, além dos templos tibetanos há também lagos verde-esmeralda alimentados pela água pura que escorre dos Himalaias... um verdadeiro paraíso, onde o isolamento, a cultura budista tibetana, as belas paisagens inóspitas, perseveram por séculos e se mantém inabaladas.

Sem dúvida, viajar para Ladakh vai mudar ainda mais o seu olhar em relação à Índia, um país diverso e cheio de atrações.


AQUI veja dois roteiros (traduzidos para o português) + fotos da SITA baixe-os agora e comece a promovê-los na sua rede.



Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Basic Square
bottom of page