top of page

VIAGENS SÓ PARA AS MULHERES: 10 RAZÕES PARA EMBARCAR COM A DUO

por Caroline Maya Gramaglio

mulheres indianas na rua. Uma com o sari laranja está em destaque

Sororidade, sem dúvida, é a palavra da vez quando o assunto é viagem em grupo. O termo pretende desconstruir o mito da rivalidade entre as mulheres que está arraigado na sociedade patriarcal. Esse movimento está aumentando cada vez mais, inclusive, na hora de viajar.

 

Viagens exclusivas só para as mulheres pipocam nas redes sociais e sites das agências de turismo, sendo uma tendência crescente.

 

São muitas as razões para viajar em um grupo só para as mulheres: fazer novas amizades; experimentar novas experiências em conjunto com seus pares de aventura; em grupo, sentir-se mais protegida em lugares, por vezes, não tão simpáticos às mulheres; viajar na companhia de pessoas, no geral, mais tolerantes e simpáticas às diferenças; construir uma rede de relacionamentos, até multietárias, que podem deixar ainda melhor, as viagens de uma solo traveller, sair da sua bolha familiar ou do nicho de amigos de sempre, que, às vezes, não tem o mesmo afã por viagem, ou pelo destino dos seus sonhos.

 

Por isso, nós da DUO, junto a dois de nossos clientes, Sita (DMC Índia e subcontinente) e a Atlas Voyages (DMC especializado no Marrocos), criamos 2 grupos exclusivos para brasileiras. 

 

Confira 5 razões para viajar com a DUO, na companhia de outras mulheres, em cada um dos nossos grupos especiais!

 

Mulheres sentadas em frente ao Taj Mahal

Índia só para as mulheres 

 

1. EXPERIÊNCIA ACUMULADA: uma viagem que já está na terceira edição, com muito sucesso. Afinal, mais de 30 mulheres embarcaram à Índia, em roteiros desenhados pela Sita (em 2022 e 2023) e agora a próxima viagem está planejada para setembro. Como já estamos na terceira edição, há muita experiência acumulada que permite uma lapidação de acordo com o gosto das brasileiras. Além disso, a Sita tem 60 anos de história o que mostra a solidez e expertise da empresa. 

 

2. VIAGEM NA “PRÉ” ALTA TEMPORADA: afinal, o embarque acontece em setembro, fim da baixa temporada, logo, tem-se excelentes tarifas negociadas em hotéis de luxo, bem localizados. Então, sem dúvida, o custo-benefício para o nível de serviço é um diferencial. Na pós-pandemia, na alta temporada, ou seja, no inverno indiano (novembro a março), os hotéis de luxo lotam com casamentos longos que duram até 5 dias, cheio de convidados, por isso, fica difícil conseguir bons valores. 

 

3. PONTOS CLÁSSICOS COM UM TOQUE A MAIS: a viajante poderá conhecer a cosmopolita Deli, cheia de contrastes, as cidades clássicas do Rajastão, como Udaipur, a Veneza do Leste; Jaipur, a capital do Rajastão e a romântica e bela Jodhpur que, para mim, é a cidade mais linda desta região, com um forte imponente. Além, claro, de conhecer Agra e o Taj Mahal. Sempre é impressionante visitar este cartão-postal da Índia, não importa quantas vezes tenha ficado diante do monumento. Vamos bem cedinho pegar o atrativo mais vazio. Mas, para mim, a cereja do bolo, ou o curry dessa viagem, é Amritsar - a capital de Punjab. Aqui, pode-se ver a devoção de tantos peregrinos ao redor do Templo Dourado. Impossível não marejar os olhos com a simplicidade, de tanta gente movida pela fé. Além, claro, de testemunhar o popular Attari - troca de guarda entre guardas indianos e paquistaneses - uma loucura nacionalista, exacerbada no ritmo de Bollywood

 

4. INTERAÇÃO COM FAMÍLIAS LOCAIS: planejamos algumas experiências inesquecíveis, uma em Amritsar, interagindo com uma família local em um vilarejo rural, e em Agra, uma pequena demonstração culinária com outra família. Uma grande oportunidade de conversar com o povo e tirar dúvidas sobre a cultura e o modo de vida, além de aprender alguns truques culinários!

 

5. VIAJAR NA COMPANHIA DE UMA GUIA MULHER QUE FALA ESPANHOL: não somente, a viajante estará na companhia de outras brasileiras, como também com a guia Dil, que é uma mulher indiana, que fala espanhol muito bem. Ela, inclusive, guiou os outros grupos de mulheres que tivemos. Veja a Dil nesse vídeo

 

Em relação à hotelaria, faço uma menção honrosa para o espetacular The Earth em Amritsar - um hotel sustentável, em um prédio histórico, porém, com toques modernos, com quadros charmosos e imensos pé direitos. O hotel está localizado bem pertinho do Templo Dourado que é, para mim, o melhor hotel da cidade, superando até mesmo o Taj, recém-aberto, que abriga chefes de Estado.  

 


Mulher brincando na fonte no famoso monumento em Marrocos

Marrocos só para as mulheres 

 

1. 11 DIAS E 10 NOITES EM UM ROTEIRO INTENSO, COM PAUSAS E CONTRASTES: as cidades imperiais estão todas aqui: Casablanca e sua imensa e impactante Mesquita; Rabat, uma das capitais que particularmente gosto muito, pois surpreende com belos atrativos; Fez, um capítulo à parte; e, claro, a turística Marrakesh que não pode faltar em uma visita ao país. Também, a viajante vai visitar o interior, o Atlas marroquino, Bin el-Ouidane e o Deserto de Agafay, pertinho de Marrakesh, para viver uma noite no deserto. Parada no Chefchaouen, a cidade azul do país, “instagramável” por natureza; além da portuária Tanger e sua vibrante vida a beira-mar. Depois, visita a um lugar pouco visitado, o Azrou, uma pequena cidade rodeada por uma bela floresta de cedros povoada por macacos e vida silvestre, com autêntica Medina parada no tempo, além de ser conhecida pelo seu artesanato.

 

2. FEZ INTENSA E AUTÊNTICA: sem dúvida, visitar Fez é de extrema importância em uma viagem pelo Marrocos. Ficou gravado na minha retina quando estive no país há uns 15 anos e me deparei com a imensa praça de frente para a entrada da espetacular Medina, uma das mais antigas e maiores do mundo. Fez é forte é pura tradição. Sua Medina é labiríntica, cheia de ruelas intricadas e tem de tudo lá dentro, casas, escolas, riades, mesquitas e até uma sinagoga. 

 

3. VISITA PARA CONHECER UMA EMPREENDEDORA: a viajante vai conhecer essa mulher, no Marrocos, que sabemos ser um ambiente nada favorável para essa atividade do empreendedorismo. Será, também, feita uma visita a um Museu dedicado às mulheres do país. Uma excelente oportunidade para se aprofundar nessa cultura e se maravilhar com a força destas que romperam barreiras no país. 

 

4. CHEFCHAOUEN, A PÉROLA AZUL DO MARROCOS: nos últimos 10 anos essa pequena cidade, com uma charmosa Medina, entrou com força no circuito turístico do país. A parte histórica dessa cidade tem as paredes azuis devido à herança dos judeus que emigraram da Espanha. 

 

5. HOSPEDAGEM NO CARAVAN BY HABITAS NO DESERTO DE AGAFAY: um dos melhores hotéis do país, o badalado Caravan by Habitas é uma experiência de hospedagem única no deserto marroquino, com muito conforto e pleno contato com a natureza. 

 

Vale ressaltar que o custo-benefício é também um ponto alto, já que é um roteiro que inclui meia pensão (café da manhã e jantar) e alguns almoços. A culinária do país é saudável e aromática. Logicamente, deixamos tempo para compras, afinal o Marrocos é uma loucura cheia de mercados vibrantes, com artigos variados, tanto de decoração, como de tecidos, roupas e especiarias. O clima em novembro também é considerado ideal. 


Baixe os roteiros completos agora!



 

Comentários


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Basic Square
bottom of page